Ferrari domina, faz a dobradinha e Vettel vence na Hungria. Hamilton cede posição para Bottas e fica em 4º

Um passeio dominical sob escolta. Foi desta forma que Sebastian Vettel desfrutou o domingo sob forte calor do verão europeu em Budapeste. Mesmo com problemas na direção da sua Ferrari, o alemão tetracampeão mundial contou a ‘proteção’ de Kimi Raikkonen, e assim venceu o Grande Premio da Hungria.

Largada limpa, mas com incidente na primeira volta com Daniel Ricciardo

Querendo defender a vantagem de largar na primeira fila, os carros da Ferrari de Vettel e Raikkonen, pularam na frente sem problemas, onde os carros da Mercedes que estavam na segunda fila do grid, tiveram de desdobrar para se manter a frente dos carros da Red Bull de Verstappen e Ricciardo. Nisso, pior para Daniel Ricciardo, que foi tocado pelo seu companheiro de equipe na curva três do circuito húngaro, e teve de abandonar a corrida antes mesmo de completar a primeira volta da prova, onde o carro do australiano ficou atravessado na pista, ocasionando a entrada do Safety Car. O incidente entre os carros da RBR acabou gerando uma punição de 10s para Verstappen, que foi considerado culpado pelos comissários de prova. O piloto holandês pagou a punição na sua parada nos boxes.

Corrida recomeça e Vettel abre vantagem sobre Kimi

Seis voltas depois o carro de segurança deixou a pista, e Vettel tratou logo de abrir vantagem sobre Kimi, que era o segundo. Mais atrás Hamilton tentava de todo jeito se livrar de Red Bull de Max Verstappen, já punido pelos comissários de prova, numa batalha pela quarta posição. Logo atrás, a disputa pelo sexto lugar protagonizou uma bela disputa entre os compatriotas Carlos Sainz e Fernando Alonso. Naquele momento, melhor para Sainz, que conseguiu se manter a frente de Alonso.

Volta 29 da corrida marca o inicio da rodada única de pit stops

Em um circuito onde o desgaste de pneu é bem menor do que outros circuitos da temporada, o GP da Hungria previa para a maioria dos pilotos uma estratégia que contemplou apenas uma parada nos boxes. Entre os lideres da prova, Valtteri Bottas foi o primeiro a entrar nos boxes para trocar os pneus supermacios para os compostos macios na 30ª volta da corrida. Na volta seguinte, foi à vez de Hamilton ir para os pits e fazer a sua parada nos boxes. O retorno a pista dos carros da Mercedes, indicava um desempenho superior aos carros da Ferrari, que não tardaram e em seguida foram aos boxes, primeiro com Vettel, e uma volta depois com Kimi, que por muito pouco não tomou a posição de Vettel no retorno a pista.

Sem Felipe Massa, escocês Paul di Resta substitui o piloto brasileiro, mas não completa a prova

A corrida na Hungria não teve a presença do piloto brasileiro Felipe Massa, que foi vetado pela equipe médica da FIA, após sentir um mal estar após os treinos livres de sexta-feira. Diagnosticado com labirintite, Massa acabou sendo substituído pelo piloto escocês Paul di Resta, chamado as pressas pela Williams que precisava de um piloto experiente para guiar tanto no treino classificatório, quanto na corrida. O detalhe curioso, é que Di Resta estava na Hungria para cobrir a prova por uma emissora de televisão britânica, e não guiava um Fórmula 1 desde o Grande Premio do Brasil de 2013, quando na época o piloto guiava pela Force India. Com isso, após uma atuação discreta, o escocês teve de abandonar a prova pouco depois da metade da corrida, por conta de um vazamento de óleo constatado pela equipe britânica.

Bottas dá passagem a Hamilton em manobra que gerou polêmica

Faltando pouco mais de 20 voltas para o final da prova, uma ordem de equipe obrigou o finlandês da Mercedes, Valtteri Bottas, ceder à posição a Hamilton que vinha na terceira posição, andando mais rápido que Bottas, onde Lewis pediu passagem para a equipe porque sentir que teria carro para superar os dois carros da Ferrari. A manobra que foi deliberada aconteceu no final da reta dos boxes e gerou controvérsias. No rádio de equipe, Bottas recebeu a palavra da Mercedes de que caso Hamilton não ultrapassasse ao carros da Ferrari, ele Hamilton, devolveria a posição a Bottas, o que acabou acontecendo na ultima curva na volta final.

Destaque da prova vai para Fernando Alonso

Sofrendo com os inúmeros problemas de falta de competitividade do motor Honda, o domingo acabou sendo altamente positivo para a McLaren, em especial para Fernando Alonso. Largando na sétima posição, o espanhol, lutou boa parte da prova, contra o seu compatriota da Toro Roso, Carlos Sainz, onde só conseguiu ultrapassar Sainz, a poucas voltas do fim da prova, em uma manobra no final da reta dos boxes.

Nisso, o sexto lugar de Alonso, foi muito comemorado pela McLaren e pelo próprio piloto, que também fez a volta mais rápida da prova em um final de semana especial para o espanhol, que completou 36 anos no sábado. Ao final da corrida, perto do pódio, Alonso ainda teve tempo para esbanjar carisma e simpatia ao desejar boas férias aos fãs da Fórmula 1, em cima de uma tela pintada no chão dos boxes com a imagem do piloto espanhol em uma cadeira de descanso, que aconteceu no GP do Brasil de 2015, e que virou um ‘meme’ da internet.

Após manobra polêmica, Hamilton devolve a posição a Bottas na última curva

Depois de ser favorecido pelo seu companheiro de equipe, que cedeu a terceira posição para que Hamilton tentasse atacar os carros da Ferrari, o piloto britânico, em um gesto de honestidade com Valtteri Bottas e a Mercedes, devolveu a posição ao finlandês na última curva, e na ultima volta da corrida. O fato causou espanto para muitos que acompanharam a prova, uma vez que Hamilton está em uma disputa intensa contra Vettel na luta pelo título da temporada. Com isso, a diferença que seria de 11 pontos, caso Hamilton fosse ao pódio, com o 4º lugar do britânico, a diferença agora subiu para 14 pontos, faltando oito corridas para o final da temporada.

Como fiel escudeiro, Kimi Raikkonen não ataca Vettel e termina em segundo

Sem vencer na Fórmula 1 há muito tempo, Kimi Raikkonen deu provas claras de que tinha carro para vencer em Budapeste neste domingo. Largando na segunda posição, o finlandês, por muito pouco não tomou a liderança de Vettel na saída dos boxes após o pit stop na volta 34. Nisso, Kimi pressionou Vettel até o final dando mostras de que tinha carro para ultrapassar o piloto alemão, que tinha problemas na direção da sua Ferrari, o que obrigou Vettel a evitar subir nas zebras do circuito, para não correr o risco de quebrar a suspensão de seu carro. Por fim, o segundo lugar de Kimi, ao menos pode garantir a sua permanência na Ferrari para 2018, uma vez que ele tem feito todo o trabalho para não prejudicar Vettel, que luta pelo título da temporada, em um ano que completa dez anos do último título de pilotos da Ferrari, conquistado pelo próprio Raikkonen em 2007.

Vettel supera problema na Ferrari, e vence na Hungria e volta abrir vantagem no campeonato

Largando da pole position, o domingo que parecia ser um passeio para Sebastian Vettel, teve momentos de tensão a partir da segunda metade da prova, quando o tetracampeão do mundo reportou a equipe pelo rádio, que tinha um problema na direção da Ferrari, o que poderia acarretar numa quebra de suspensão no carro do alemão. Com isso, Vettel se viu obrigado a fazer uma condução mais cautelosa nas voltas finais e assim se viu muito pressionado por Raikkonen e Hamilton que tentava a todo custo atacar o finlandês da Ferrari. Ao mesmo tempo, Vettel também sofreu com a pressão da Ferrari e de Raikkonen para que aumentasse o ritmo de prova, sob risco de serem superados pela Mercedes de Hamilton, o que não aconteceu.

Desta forma, sendo praticamente ‘escoltado’ por Kimi nas voltas finais, o tetracampeão mundial venceu pela quarta vez no ano, na 50ª corrida dele pela Ferrari, sendo esta a vitoria de numero 46 na carreira de Vettel, que agora tem 14 pontos de vantagem sobre Hamilton na luta pelo título da temporada. A Fórmula 1, que agora entra no seu período de férias, onde o mês de agosto é onde equipes e pilotos tiram as férias de verão, e assim a maior categoria do automobilismo mundial retorna daqui quatro semanas no Grande Premio da Bélgica no lendário circuito de Spa-Francorchamps, na corrida que vai marcar a 12ª etapa da temporada no próximo dia 27 de agosto.

Confira abaixo o resultado final do GP da Hungria:

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *