Após pausa de três semanas, Fórmula 1 retoma as atividades neste final de semana no GP da Bélgica

Tradicional dentro do calendário da Fórmula 1, a pausa nas atividades no mês de agosto, que para equipes e pilotos são as chamadas férias de verão, é o momento em que todos que seguem a maior categoria do automobilismo mundial, de recarregar as energias para iniciar a segunda metade da temporada, ainda com corridas na Europa, antes de partir para o continente asiático, para a parte decisiva da temporada. Sendo assim, após quase 30 dias de descanso até para este blogueiro que aqui escreve, a Fórmula 1 retoma as atividades no Grande Prêmio da Bélgica, que acontece neste final de semana no lendário circuito de Spa-Francorchamps, na corrida que marca a 13ª etapa da temporada.

Hamilton deve ser punido pela troca de motor neste final de semana

Antes mesmo da pausa para as férias, muito se discutiu internamente sobre a iminente troca de motor na Mercedes de Lewis Hamilton. Troca que por força do regulamento da Fórmula 1 atual, lhe renderá uma punição no grid, onde o Hamilton provavelmente deverá largar na última posição. Mas muito antes de sacramentar a troca de motor, a discussão era em qual corrida este motor de Lewis, que estava no limite da sua vida útil, seria trocado. Pois o Grande Prêmio da Bélgica por se tratar de um circuito longo, e com retas extensas, segundo a Mercedes, não traria muito prejuízo para o britânico, que se confirmar a troca de motor, já sabe que terá uma vida dura na corrida de domingo. Por outro lado, mesmo com todo cenário desfavorável que se avizinha para Hamilton, o britânico conta com um retrospecto dentro da atual temporada, que se não lhe dá a garantia de título, pelo menos o credencia a se recuperar já pensando nas provas seguintes, uma vez que Hamilton venceu as últimas seis corridas da temporada.

Revés de Hamilton pressiona Rosberg a confirmar possível vitória no domingo

A confirmar a troca de componentes no carro de Hamilton, o que obrigaria o britânico a largar praticamente no final do grid de largada, acaba por tabela colocando Nico Rosberg como franco favorito a vitória no domingo. Um elemento a mais para pressionar o piloto alemão que precisa urgentemente se recuperar no campeonato, após ver o seu maior rival na luta pelo título, tomar a liderança do campeonato e caminhar a passos largos rumo a mais um título. Um final de semana com ares de decisão para as pretensões de Rosberg, que ainda sonha com o seu primeiro título mundial, igualando o feito de seu pai, o finlandês Keke Rosberg, campeão do mundo em 1982.

Red Bull quer retorna as atividades querendo se aproximar ainda mais da Mercedes

Única equipe a derrotar a Mercedes na temporada, mesmo que em uma corrida onde os carros da equipe alemã não completaram a prova, a Red Bull mira um bom desempenho já nos treinos livres de sexta para almejar ser, ou continuar a ser, a pedra no sapato da Mercedes. Mirando o pódio, a equipe austríaca já trabalha em duas frentes, uma vez que já fala abertamente nos bastidores que já pensa no carro para 2017, sempre com a ‘benção’ do projetista Adrian Newey, onde pode se esperar um carro competitivo para próxima temporada, mas ainda sem ‘jogar a toalha’ em 2016.

Ferrari chega a Spa pressionada por uma vitória

Após uma primeira metade de campeonato discreta, e lutando contra a Red Bull, a Ferrari chega para a segunda metade do campeonato, pressionada por bons resultados, onde a escuderia italiana que começou o ano como o carro apontado a ser o desafiante da Mercedes, nem de longe é aquela equipe, que venceu três corridas na temporada passada, e que tem sofrido com diversos problemas em seus carros, principalmente com Sebastian Vettel, que faz uma temporada muito discreta. Para isso, a Ferrari garante que ainda não desistiu de 2016, e promete uma reação já neste final de semana em termos de performance, a fim de pelo menos lutar pelo pódio contra os carros da RBR.

Felipe Massa chega em Spa-Francorchamps tentando definir seu futuro na F1

Em seu último ano de contrato com a Williams, Felipe Massa faz parte do time de pilotos que procuram vagas para 2017. Sem descartar uma renovação com a Williams, algo no momento tido como remoto, porque os rumores dentro do paddock indicam que Jenson Button estaria retornando para a Williams em 2017, Massa no momento adota um discurso cauteloso em relação ao seu futuro. Ainda no campo dos rumores, o nome de Felipe tem sido comentado para guiar pela Renault, que demonstra insatisfação com a dupla atual de pilotos, Jolyon Palmer e Kevin Magnussen, que devem ser sacados ao final da temporada. Com isso, o fato é que teremos de aguardar mais algumas semanas para saber qual rumo Massa terá na Fórmula 1, se irá para mais uma temporada, ou deixará a categoria após 14 temporadas.

Felipe Nasr é outro que espera definir seu futuro

Assim como Massa, o outro Felipe, o Nasr, também está à espera de definir seu futuro dentro da fórmula 1. O jovem brasiliense, que tem seu contrato com a Sauber encerrando no final da temporada, também é outro que tem conversado com outras equipes a fim de conseguir uma vaga para 2017, onde nem uma renovação com a Sauber, que ganhou um ‘fôlego’ financeiro após, confirmada a compra da equipe por um grupo suíço, e que pode assim garantir o futuro da equipe por mais alguns anos, Nasr também vê com bons olhos a possibilidade de permanecer na escuderia suíça, uma vez que com a entrada dos novos parceiros, as chances da equipe voltar a evoluir podem ser renovadas. Por enquanto o que se sabe, é que dos dois brasileiros, Nasr é aquele que talvez tenha o futuro mais incerto, principalmente pela pouca possibilidade de mostrar serviço devido aos resultados ruins aliado ao péssimo desempenho da Sauber este ano até o momento.

Período das férias de verão também foi de troca no grid atual

O período das férias de verão também foi de troca no final do pelotão de carros. A equipe Manor, trocou um piloto Rio Haryanto pelo jovem francês Esteban Ocon. Ocon, que estava correndo na DTM, tradicional categoria de turismo alemã, substitui o indonésio que no início do ano havia acertado um contrato com a Manor somente até o GP da Hungria. Como não houve acerto entre Haryanto e a escuderia britânica, abrindo a oportunidade para o ingresso de Ocon, que é piloto de testes da Renault, mas possui vínculo contratual atrelado a equipe Mercedes, fazendo parte da ‘linha sucessória’ da escuderia alemã, assim como Pascal Wehrlein. Sendo assim, é provável que o jovem francês termine a temporada guiando pela Manor, não descartando a possibilidade de ter Haryanto como piloto de testes.

Spa-Francorchamps registra vitórias e feitos históricos de pilotos brasileiros

Palco de vitórias brasileiras, o circuito de Spa-Francorchamps é um lugar de bom retrospecto para o automobilismo nacional. Com oito vitórias no traçado belga, sendo duas de Emerson Fittipaldi (1972 e 1974), cinco de Ayrton Senna (1985, 88, 89,90 e 91) e uma de Felipe Massa (2008) colocou o país entre os maiores vencedores no lendário circuito belga. Além disso, foi em Spa-Francorchamps que Rubens Barrichello em 1994, então guiando pela equipe Jordan marcou a sua primeira pole position na carreira.

Raikkonen é o maior vencedor entre os pilotos do grid atual

Entre os pilotos do grid atual, é do finlandês Kimi Raikkonen, tem a honra de ser o piloto com o maior número de vitórias em Spa-Francorchamps. Com quatro triunfos no traçado belga (2004,2005,2007 e 2009), Kimi pode se considerar um ‘especialista’ nos mais de 7km do lendário circuito de Spa. Entre os demais pilotos do grid, apenas Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, se aproximam em número de vitórias na Bélgica, com duas vitórias para cada um. O recordista em triunfos em Spa, é o heptacampeão mundial Michael Schumacher com seis vitórias.

Circuito de Spa-Francorchamps tem o traçado mais longo da F1 atual

O palco da corrida neste final de semana é um dos mais desafiadores da atual temporada. Preferido da maioria dos pilotos, o tradicional circuito de Spa-Francorchamps, é o traçado mais extenso da temporada, com mais de 7km, entre subidas e descidas, entre elas a curva mais desafiadora da temporada, a famosa ‘Eau Rouge’ que nada mais é do que uma curva em ‘S’ em subida de alta velocidade. Curva que para alguns pilotos é a mais desafiadora da temporada.



Corrida será em horário tradicional para público brasileiro

O GP da Bélgica que marca o 13º desafio da temporada, acontece no tradicional horário para o público brasileiro. Com a largada marcada para as 9h pelo horário de Brasília, o GP da Bélgica no lendário circuito de Spa-Francorchamps terá 44 voltas nos 7.004km. Se seguir aquela máxima de que ‘pista velha é que faz corrida boa’ podemos esperar outra boa corrida no domingo, assim como foi na Alemanha, três semanas atrás. Numa prova que foi repleta de alternâncias entre os pilotos durante a corrida. E ao longo do final de semana, o ‘Volta Final’ vai informar o que de melhor acontecer na corrida que marca o início da segunda metade da temporada 2016 da Fórmula 1.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *