Batizado com o nome de uma lenda da F1, GP do Canadá marca sétima corrida do ano neste final de semana

Duas semanas após uma das melhores corridas da temporada, a Fórmula 1 retoma os trabalhos neste final de semana para a sequencia da temporada. Em um grande premio cercado de expectativas o circo da Fórmula 1 cruza o Atlântico, e desembarca em Montreal neste final de semana para o Grande Premio do Canadá, na corrida que marca a sétima etapa da temporada.

Rosberg tenta recuperar pontos perdidos em Mônaco

Após um sétimo lugar e um desempenho ruim em Mônaco, Nico Rosberg chega a Montreal com a missão de frear uma possível reação de Lewis Hamilton. Soberano na temporada até então, tendo vencido quatro das seis corridas do ano, Rosberg sabe que um novo triunfo de Hamilton neste final de semana, pode reacender seu maior rival na luta pelo titulo.

Hamilton tenta segunda vitoria no ano para seguir reagindo no campeonato

Após vencer pela primeira vez no ano, Lewis Hamilton sabe que precisa de uma sequencia de vitorias para descontar a vantagem do seu companheiro de equipe na batalha pelo titulo. Depois de ver um inicio de temporada arrasador de Rosberg, a vitoria de Hamilton somado a mais um triunfo do britânico, não só pode ter efeitos na pontuação do campeonato, mas também pode desestabilizar Nico Rosberg psicologicamente com reflexos para o restante da temporada. Algo que Hamilton fez com maestria nas duas ultimas temporadas.

Red Bull chega ao Canadá cercada de expectativas sobre performance

Única equipe a desbancar a Mercedes na temporada, com uma vitoria de Max Verstappen no GP da Espanha, a Red Bull esteve muito perto de vencer também em Mônaco. Após um final de semana quase perfeito, com direito a pole de Ricciardo, onde a equipe austríaca só não venceu nas ruas de Montecarlo por conta de um erro grave no ultimo pit stop do australiano onde a equipe não estava pronta para receber Daniel nos boxes, a RBR chega a Montreal cercada de expectativas para saber qual o real potencial da equipe no momento, onde de longe é o carro que mais evoluiu desde o inicio do ano.

Felipe Massa começa a definir seu futuro na F1

Com contrato encerrando no final da temporada, Felipe Massa chega ao Canadá pressionado por boas performances se quiser almejar seguir na categoria máxima do automobilismo mundial. O veterano de 35 anos sabe que com bons resultados ele terá boas chances de conseguir um lugar de destaque no grid da próxima temporada, onde corre noticias no paddock que Felipe, além de negociar sua renovação com a Williams, também conversa atualmente com a Renault.

McLaren terá motores novos neste final de semana

Com a expectativa de impulsionar ainda mais seus bólidos na pista, a McLaren apresenta neste final de uma atualização nos motores de seus carros. Depois muito hesitar ao longo das ultimas semanas, a alta cúpula da Honda decidiu levar a pista uma atualização que promete um maior nível de potencia do propulsor e que deve melhorar os tempos de volta de seus pilotos. Ao contrario de outras equipes, que tem por habito fornecer atualizações primeiramente em um de seus carros, a McLaren vai disponibilizar os novos motores para seus dois pilotos. Vale também ressaltar, que McLaren não será punida no grid, uma vez que se trata de uma atualização e não uma troca de componentes nos seus carros.

Após chegar ao pódio em Mônaco, Pérez mira outro bom resultado no Canadá

Outro piloto a ser observado neste final de semana é Sergio Perez. Após chegar ao pódio em Mônaco, e confiante com as atualizações no carro da Force India o mexicano chega a Montreal acreditando que o carro pode repetir a excelente performance de Mônaco. Nesta mesma onda, Nico Hulkenberg é outro piloto que pode fazer uma bom trabalho ao longo do final de semana.

Circuito canadense tem o nome de uma lenda das pistas

Em um dos circuitos mais rápidos da temporada o traçado de Montreal dá nome a um dos pilotos mais admirados de todos os tempos, seu nome: Gilles Villeneuve. Canadense, Villeneuve começou a carreira em 1975, e após ganhar destaque em diversas categorias, ingressou na Fórmula 1 em 1977 após receber um convite da Ferrari para ser companheiro do argentino Carlos Reutemann. A bordo do carro vermelho, foi onde Villeneuve ganhou notoriedade e muitos fãs dentro do circo da Fórmula 1. Arrojado e destemido, Villeneuve também colecionou acidentes impressionantes ao longo de sua carreira, o mais grave deles, no Grande Prêmio do Japão de 1977, Villeneuve bateu com a sua Ferrari na Tyrrell do sueco Ronnie Peterson, e o carro do piloto canadense foi lançado na direção de dois espectadores que assistiam a prova em local proibido. Ambos os espectadores morreram com o impacto.

Momentos como esse mesmo com toda a periculosidade de uma Fórmula 1 que tinha histórico de no mínimo perder dois pilotos por temporada em acidentes fatais, fizeram de Villeneuve uma referencia para uma geração de pilotos que surgia na virada dos anos 70 para os anos 80. Mas todo o arrojo e a coragem da lenda canadense, no dia 8 de maio de 1982 cobrou seu preço. Na sessão classificatória para o Grande Premio da Bélgica daquele ano, no Circuito de Zolder, Villeneuve disputava a pole position contra o seu companheiro de equipe, o francês Didier Pironi, que já havia marcado a pole provisória até então.

Foi quando Gilles, que estava em sua última volta rápida encontrou em uma curva de alta velocidade, o March de Jochen Mass retornando para os boxes em velocidade menor. Um erro de cálculo talvez, fez com que as rodas dos carros se tocassem e a Ferrari do canadense foi lançada ao ar, seguindo assim uma seqüência de capotagens que partiu o cockpit ao meio e arremessou o corpo de Villeneuve para o alto, só parando no lado externo da pista, ao chocar-se violentamente contra o alambrado de proteção. Ao chegar ao local do acidente, a equipe médica tentou sem sucesso salvar a vida do piloto canadense, onde a sua morte só foi oficialmente declarada horas depois, em um hospital local. Gilles na época deixou uma mulher e dois filhos, um deles, Jacques Villeneuve, que ainda seria campeão mundial de Fórmula 1 em 1997, pela equipe Williams. Feito que seu pai não teve tempo de conseguir.

Michael Schumacher é o maior vencedor no circuito canadense

Recordista absoluto no traçado canadense é de Michael Schumacher o maior numero de triunfos no circuito Gilles Villeneuve, ao todo o heptacampeão tem sete vitorias. Entre os pilotos do grid atual, é de Lewis Hamilton o recorde de vitorias. O tricampeão do mundo já venceu nada menos do que quatro vezes no Canadá.

GP do Canadá foi palco da ultima vitoria de Nelson Piquet na Fórmula 1

Ao longo de sua história, o Grande Premio do Canadá soma seis vitorias brasileiras. Uma com Emerson Fittipaldi, em 1974, no circuito de Mosport Park, que era o circuito base que sediava as corridas da categoria máxima do automobilismo mundial, em solo canadense. Mais tarde, já no tradicional circuito de Montreal, o automobilismo brasileiro ainda viu mais cinco vitórias brasileiras, duas com Ayrton Senna, em 1988 e 1990, e três com Nelson Piquet em 1982, 1984, e em 1991, que por sinal foi a sua ultima vitoria na Fórmula 1, em uma corrida, onde na ocasião a vitoria caiu no colo do brasileiro, após a Williams de Nigel Mansell, deixar o britânico a pé, sem combustível na ultima volta da corrida, quando Mansell com uma imensa vantagem sobre Piquet já comemorava a vitoria.

GP do Canadá será disputado a tarde e sem transmissão para a TV aberta

Diferente do horário quando a Fórmula 1 corre nos circuitos na Europa para nós brasileiros, onde as corridas são transmitidas para o Brasil no horário da manhã, o GP do Canadá será disputado no domingo à tarde, onde a diferença de fuso horário para o Brasil é de uma hora a menos. A corrida neste ano, não terá a transmissão ao vivo para a TV aberta pela Rede Globo, uma vez que a emissora detentora dos direitos de transmissão em canal aberto para o país optou por reprisar a corrida no final da noite de domingo. Sendo assim, o fã da categoria máxima do automobilismo mundial, se quiser assistir o GP do Canadá ao vivo, terá o canal Sportv, que já anunciou que vai transmitir todos os treinos e a corrida ao vivo na tarde de domingo. Por fim, o treino classificatório para definir as posições do grid de largada está marcado para o sábado às 14h, e a largada para as 70 voltas dos 4.361km do circuito Gilles Villeneuve, na corrida que marca a sétima etapa da temporada, está marcada para domingo às 15h pelo horário de Brasília.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *