GP da Espanha – Análise Final

Encerrada a quinta etapa da temporada, equipes e pilotos já voltam as suas energias para o Grande Premio de Mônaco, a corrida de maior tradição e charme no calendário da maior categoria do automobilismo mundial. Antes disso, o GP da Espanha encerrado no ultimo domingo, escreveu uma bela pagina na historia da F1, com a vitoria do jovem promissor Max Verstappen, sendo Max o piloto mais jovem a vencer na categoria. Além disso, o GP espanhol também rendeu outros capítulos que podem ter reflexos no restante da temporada.

Rosberg saiu no lucro

Mesmo não tendo completado a prova, o acidente que envolveu os dois carros da Mercedes e que tirou tanto Rosberg, quanto Lewis Hamilton acabou de certa forma, em termos de campeonato beneficiando e muito o piloto alemão. Ao levar em conta a frieza dos números, Rosberg saiu de Barcelona com uma corrida a menos na conta do campeonato, onde nem ele Nico, e muito menos Hamilton pontuaram na prova. Na pista, o acidente entre os companheiros de equipe acirrou a rivalidade entre ambos, onde a Mercedes terá mais do que nunca tomar as rédeas da situação, dado o acirramento dos ânimos entre seus dois pilotos.

Hamilton foi o maior derrotado do final de semana

Ainda em busca de um rumo no campeonato, Lewis Hamilton deixou a Espanha com mais um resultado amargo na conta do campeonato. Novamente largando na pole position, mais uma vez no ano, ele viu a sua vantagem de largar na ponta do grid, se esvair logo na largada ao ser superado por Rosberg. Na tentativa de recuperação, Hamilton ainda forçou uma ultrapassagem que culminou num acidente com o seu companheiro de equipe e maior rival na luta pelo titulo. Para o restante do campeonato, Hamilton que visava uma reação imediata já na Espanha, sabe que em Mônaco terá uma pressão extra por chegar à sexta corrida do ano, com o melhor carro do grid, e que ainda não venceu com ele este ano. Vale lembrar que a ultima vitória de Hamilton foi no Grande Premio dos Estados Unidos, em outubro de 2015, na corrida que garantiu a Hamilton o tricampeonato mundial.

Ferrari perdeu chance de vitória

No grid atual, a Ferrari que é o carro que tem andado mais perto da Mercedes pode-se dizer que perdeu uma chance de ‘ouro’ para vencer na temporada. Corre dentro do paddock, o que não é falado abertamente, que a escuderia italiana, teria subestimado a Red Bull, ao não ter tentado uma estratégia mais ousada, visando vencer a prova. De forma conservadora, a Ferrari acabou fazendo uma estratégia de corrida muito parecida com a da equipe austríaca, e com poucas oportunidades de ultrapassagem que o circuito de Barcelona oferece a escuderia italiana, perdeu uma bela oportunidade de subir no ponto mais alto do pódio na temporada. A nota positiva em Barcelona para a Ferrari, é que finalmente seus dois pilotos foram ao pódio, onde o incidente entre os carros da Mercedes dá a Kimi Raikkonen momentaneamente, a vice liderança no mundial de pilotos.

Red Bull renasce

Equipe que andou em 2015 muito longe daquela que dominou o inicio da década com os quatro títulos em sequencia de Sebastian Vettel, a Red Bull de 2016 deu mostras de que pode fazer uma temporada muito promissora. Com um carro em franca evolução, a equipe austríaca promete para as próximas corridas um pacote de atualização em seus carros, que promete ser uma ameaça real a Ferrari, na condição de segunda força do grid. No ultimo domingo, também aproveitando as oportunidades, a RBR marcou a sua primeira vitoria no ano, em uma temporada onde poucos davam a RBR como um carro candidato a vencer corridas em 2016. Após o triunfo em Barcelona, a Red Bull sem duvida alguma será vista com maior atenção das demais equipes.

Williams perde espaço

Equipe que foi a segunda força no grid em 2014, com alguns pódios naquela temporada, e pole position, com Felipe Massa na Áustria, a Williams decaiu de segunda força, para atualmente ser a quarta força no grid atual. Com a evolução da Ferrari em 2015, que venceu três corridas com Sebastian Vettel, e manteve o mesmo patamar neste ano, somado ao bom carro da Red Bull em 2016, a Williams parece que aos poucos deve perder terreno na parte da frente do grid. Em um carro que por vezes não parece explorar todo o potencial do motor Mercedes, somado as estratégias de corrida muito conservadoras, a Williams precisa rever suas posições se quiser voltar a fazer parte das primeiras filas do grid, e assim voltar a sonhar com melhores resultados. A quinta posição de Valteri Bottas e o oitavo lugar de Felipe Massa na Espanha dão a dimensão da atual realidade da escuderia inglesa, que sabe que terá muito trabalho ao longo da temporada.

Max Verstappen fez historia ao vencer na Espanha

O grande fato do final de semana sem dúvida foi a vitoria do jovem promissor Max Verstappen. Max que desde a sua chegada na Fórmula 1, era tratado como piloto prodígio, mostrou no domingo passado ser um piloto com potencial de futuro campeão da categoria. Sem se assustar com a pressão do campeão mundial Kimi Raikkonen, o garoto que ao final da corrida ainda relatou que em nenhum momento ficou nervoso com a pressão que durou mais de 25 voltas, onde Kimi praticamente não teve nenhuma oportunidade real de tentar a ultrapassagem em cima de Max. Max que foi recrutado para RBR na semana da corrida, após uma troca com Daniil Kvyat que foi para a Toro Roso, é filho do piloto Jos Verstappen, que correu na Fórmula 1, em meados dos anos 90, onde passou por equipes como Benetton e Arrows, tendo seus melhores resultados dois pódios, ainda guiando pela Benetton. Para as próximas corridas, a expectativa é de que Max mantenha a boa performance da Espanha, onde seria injusto com o jovem promissor cobrar mais vitorias, tendo uma Mercedes amplamente superior, mas é possível sim, esperar de Max quem sabe lutar por mais pódios ao longo do ano.

Semana reservou testes para as equipes em Barcelona

Ao final da corrida equipes e pilotos ficaram em Barcelona, para uma sessão de testes que aconteceu na terça e na quarta-feira, onde as equipes testaram diversos componentes em seus carros, visando o restante da temporada. Período raro, em uma Fórmula 1 que cada vez mais tem limitado as equipes de realizar testes em seus carros. Ainda assim, a FIA ainda limitou a participação de apenas um carro por equipe, sendo a Sauber que enfrenta graves problemas financeiros, a única equipe a não participar dos testes. Na pista, destaque para a Ferrari que com Sebastian Vettel liderou boa parte dos testes realizados. Outra boa surpresa foi a McLaren que também chegou a liderar uma sessão realizada ao longo dos dois dias, com Jenson Button.

Próxima parada: Mônaco

Corrida de maior tradição dentro do calendário da Fórmula 1, o Grande Premio de Mônaco, é a corrida que todo o piloto que chega a maior categoria do automobilismo mundial sonha em vencer. Em um traçado de rua com pouco mais de 3 km e muito apertado, ultrapassar é o maior desafio para os pilotos correm no principado. Outra peculiaridade é que Mônaco é a corrida de maior numero de voltas da temporada, 78 no total.  Entre os pilotos com mais triunfos nas ruas do principado, o recorde de vitorias é do brasileiro Ayrton Senna, que venceu seis vezes em Mônaco. No grid atual, quem atualmente ‘manda’ nas ruas de Montecarlo é Nico Rosberg, tendo vencido as ultimas três corridas em Mônaco.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *